Página principalRecursosBlogueRalenti: Um inimigo a eliminar
Icon clock 2 minutos para ler

Ralenti: Um inimigo a eliminar

Por João ChitasJanuary 31, 2020
1579687507 ralenti

Desperdício de combustível.

O ralenti representa a “inatividade” de uma viatura que, apesar de se encontrar com o motor em funcionamento, permanece imóvel. Como é obvio, e após esta brevíssima descrição, o ralenti é sinónimo de improdutividade e desperdício.

Talvez não saiba, mas um veículo consome cerca de 0,5 l de combustível por cada hora em funcionamento*. Se tiver em conta o preço a pagar por cada litro de combustível, perceberá facilmente o impacto do ralenti na eficiência da sua frota e no orçamento da sua empresa. Se considerar igualmente que 30% dos custos associados a um veículo se devem a gastos com combustível*… talvez valha a pena juntar-se a nós para travar esta batalha.

O tempo é dinheiro. É mesmo.

O ralenti está normalmente associado a períodos de inatividade. Ou seja, se o seu motorista registar tempos de condução em ralenti muito elevados, provavelmente significará que este se encontra em zonas de grande congestionamento. Ora, se as suas viaturas estão frequentemente presas no trânsito, isto significa que os seus recursos não estão a ser devidamente utilizados. No fundo, está a remunerar os seus motoristas por horas de inatividade e a pagar por combustível que não é utilizado em seu proveito.

Está connosco nesta batalha? Ótimo. Vamos dar-lhe algumas dicas para que possa minimizar este problema.

1º O que fazer?

Para mudar, é necessário saber o que mudar. As soluções de gestão e localização de viaturas por GPS, como o REVEAL, dão-lhe conta do período de tempo em que os seus veículos estiveram em ralenti. Melhor ainda, poderá identificar o motorista que atingiu números considerados inaceitáveis, segundo os parâmetros definidos pela sua empresa.

2º Corrigir e premiar comportamentos

Identificadas as falhas, poderá alertar os seus motoristas para a necessidade de desligarem o veículo em paragens superiores a 30 segundos ou para não prolongarem em demasia o tempo destinado ao aquecimento do motor.

Por outro lado, e se quiser efetivamente inspirar a mudança, também poderá premiar os motoristas que tenham registado um melhor desempenho neste capítulo. É importante que recompense as boas práticas.

3º Se é gestor, tem de ter uma estratégia

Do seu lado, tente prever o imprevisível. Planeie as rotas e as deslocações, tendo em conta os trajetos e os horários em que habitualmente se regista um maior congestionamento da circulação automóvel. Desta forma, é mais provável que o tempo de condução em ralenti diminua, reduzindo assim as horas de trabalho improdutivas e os litros de combustível gastos sem qualquer benefício para a sua empresa.

 

Prepare-se para esta batalha!!!


1575539990 joao pedro chitas
João Chitas

João Chitas, Marketing Specialist na Verizon Connect


Etiquetas: Combustível, Gestão de Equipas